Como ser um bom líder de TI e manter seus colaboradores motivados

Categoria: TI

Postado em 12 de setembro de 2018

minutos

Quem trabalha com TI ou já teve a oportunidade de dividir o ambiente corporativo com profissionais dessa área, sabe o quanto é desafiador manter o ritmo da equipe e entregar os projetos dentro do prazo estipulado. Isso porque a TI é a área onde se concentra um dos maiores volumes de trabalho com o menor tempo disponível para desenvolvimento.

Para liderar uma equipe, independente da área, é necessário ter um bom preparo profissional. Na equipe de TI é de extrema importância que o líder seja treinado tecnicamente, profissionalmente e até emocionalmente para o nível de cobranças e exigências que irá assumir. Uma vez que este líder é o responsável por representar e direcionar a equipe, mantendo o clima organizacional equilibrado e assumindo o controle nos momentos de estresse, que são comuns dentro da realidade desta área.

Quando se trata de comandar equipes com sucesso, o que costuma vir na nossa cabeça é aquela tradicional imagem de gerentes e executivos, muito bem vestidos e sentados em suas salas gigantescas apenas coordenando a operação. Pode ser que esta ainda seja a  realidade de muitas empresas hoje em dia, porém, nas empresas de TI, esse modelo não se aplica. Os líderes ou CIO’s, como são chamados atualmente, precisam administrar a produtividade, contratar e manter talentos, zelar pela qualidade técnica do trabalho, responder pela área, além de desempenhar uma das funções mais importantes: estar por dentro das estratégias e objetivos comerciais da companhia, para trazer inovações que estejam a nível do mercado. E mais: que coloquem a empresa em posição de destaque entre as concorrentes. Ufa!

O que foi citado no parágrafo acima pode até parecer novidade, mas não é. A maioria dos CIO’s e empresas de TI já têm esse direcionamento e trabalham incessantemente para conseguir dominar a nova demanda exigida pelo mercado. A diferenciação de um bom líder de TI não está no quê fazer, mas sim no como fazer. Essa é a grande virada! São poucos os profissionais que têm um planejamento ou mesmo alguma ideia de como fazer todas as tarefas se integrarem de forma que não fique nenhuma ponta solta.

Imagine que a área de TI funciona como um ciclo: o clima natural de estresse extremo gera uma equipe insatisfeita, que desenvolve trabalhos com baixa qualidade, obrigando o monitoramento de tudo para correção das falhas, atrasando a entrega. O líder, por sua vez, está sempre ocupado apagando os incêndios da equipe, não sobrando tempo para pensar estrategicamente no negócio. Pronto. Esta série de acontecimentos faz com que aquela ideia de posicionar a empresa como super inovadora vá por água abaixo. E pior: muita vezes sem ninguém se dar conta da gravidade do problema.

Uma boa maneira de começar é estruturando um método de gerenciamento de equipe: um líder de sucesso tem o seu time sob controle não na base de cobranças, monitoramento ou ameaças, mas sim por meio de um bom preparo e planejamento para o cargo. Se um CIO quiser se diferenciar verdadeiramente, ele precisa avaliar suas próprias habilidades e desenvolver as habilidades da sua equipe. Sendo assim, a seguir mostraremos algumas etapas que podem ajudar muito na construção de uma liderança sólida e eficiente:

Etapa 1 – Treine a habilidade de escutar os colaboradores. Planeje a sua agenda para os próximos meses e defina objetivos a alcançar com estas conversas, como diminuir a quantidade de falhas, priorizar a qualidade das entregas e aumentar a produtividade.

Etapa 2 – Crie um modelo próprio de treinamento. Depois que você identificar quais são as dificuldades de cada profissional, trace um plano para que você possa ajudá-lo. Defina o tempo que esse treinamento irá durar, a sua periodicidade, e inclua no cronograma de tarefas. O indicado é que aconteça toda semana, por no mínimo 1 hora.

Etapa 3 – Apesar do tempo escasso e agenda lotada, demonstre interesse nesta tarefa, chame seus colaboradores pessoalmente, em vez de esperar que eles venham até você E claro, não desmarque este compromisso. Faça o possível para realizá-lo até que cada pessoa atinja seus objetivos.

Etapa 4 – Dê um feedback, com suas impressões e suas conclusões. Isso demonstra que as conversas têm valido a pena e que não servem apenas para cumprimento de um padrão. É importante que a equipe saiba se estão ou não entregando o resultado esperado.

Etapa 5 – Faça relatórios sobre as conversas, com os temas discutidos e possíveis acordos – você se comprometeu a entregar algo ou estipulou datas para algumas definições? Antes de cada nova sessão de conversa, leia o que escreveu, para não deixar erros e promessas vazias.

Comentários